Peleja de Seriema com cobra – do Fabulário Conciso para Tempos Inclementes

por João Bosco Bezerra Bonfim

Artes Verbais, Literatura de Cordel, Discurso, Letramento Literário, Narrativas, Poesia


Peleja de Seriema com Cobra

VII

Peleja de Seriema com cobra

para Seu Roberto Correa

 

No grande cerrado,

de longe avistei

Vistosa Seriema

de crista elegante

Caçando conversa

com o Cobra ondeante

Jogando sua asa,

esperava, não sei

Vencer o seu Cobra,

que no bote é rei

Uma sapateia,

o outro se arrasta

E, de boca em bote,

o Cobra se agasta

E quando ele voa

sua presa na asa

Dona Seriema

se sente em casa

E o Cobra, no bico,

gostosa ela pasta

por João Bosco Bezerra Bonfim

Esta é a sétima do Fabulário Conciso para Tempos Inclementes.

Vejam a música na qual me inspirei para fazer o poema:

Twitter Digg Delicious Stumbleupon Technorati Facebook Email

About João Bosco Bezerra Bonfim

Poeta, pesquisador de linguística e literatura. Mora em Brasília, DF, Brasil. Autor de mais de vinte livros: análise de discurso, poesia, literatura infantojuvenil, cordéis. Nasceu na Barra do Riacho Seco, município de Novo Oriente, Ceará, em 1961. Reside em Brasília desde 1972. Professor de literatura, mestre e doutor em linguística, na área de análise do discurso. Ministra oficinas para mediadores de leitura; faz leituras públicas de suas obras; participa de eventos literários em todo o Brasil.

Nenhum comentário ainda... Seja o primeiro a deixar uma mensagem!

Deixe uma mensagem