Mesmo que o longe se apresente

por João Bosco Bezerra Bonfim

Artes Verbais, Literatura de Cordel, Discurso, Letramento Literário, Narrativas, Poesia


Mesmo que o longe se apresente
Não neste horizonte do crer
Só quem pressente mais longe
Há de, decerto, saber:

Se há vida ou não, depois,
É questão de estar alerta
Pois se nem desta se sabe
Se estará posta e certa:

Vida é mais, pois que ambígua
Vida é mais que a percebida
E quanto mais se faz fugidia

Quanto mais seja perseguida.
Não há, pois, vida nem morte:
Só o vagar é que é guarida.

Não se ponha, pois, filósofo,
A questionar por mil dias
Não é hoje nem foi ontem
Que foi dada a garantia.

Invisíiveis os trajetos
Fazem a própria companhia
A apartar-se e juntar-se
Combinando maestria

Não se queira, explicar, oras
Com sedução ou valentia
O que impera no etéreo
Na honrosa companhia.

Twitter Digg Delicious Stumbleupon Technorati Facebook Email

About João Bosco Bezerra Bonfim

Poeta, pesquisador de linguística e literatura. Mora em Brasília, DF, Brasil. Autor de mais de vinte livros: análise de discurso, poesia, literatura infantojuvenil, cordéis. Nasceu na Barra do Riacho Seco, município de Novo Oriente, Ceará, em 1961. Reside em Brasília desde 1972. Professor de literatura, mestre e doutor em linguística, na área de análise do discurso. Ministra oficinas para mediadores de leitura; faz leituras públicas de suas obras; participa de eventos literários em todo o Brasil.

Uma resposta para “Mesmo que o longe se apresente”

  1. Gostei. É isso, não estou apta a fazer qualquer outro tipo de comentário, simplesmente gostei, me tocou.

Deixe uma mensagem