de despedida

por João Bosco Bezerra Bonfim

Artes Verbais, Literatura de Cordel, Discurso, Letramento Literário, Narrativas, Poesia



de despedida

ó esperada mentira
que se demora a
anunciar
“então já vou”
“então tá”
é aí que o melhor
começa
beijo de adeus
que anuncia
promessa
contrário gesto
em que a intenção
docemente
contrariada sempre
tropeça

do livro teoria do beijo, ed. do autor, 2003, com arte de Ana Lomonaco

Sobre o beijo muito há o que falar, escrever, sentir, imaginar, sonhar. Mas será que é possível “teorizar” sobre o beijo? Sem pretensão científica alguma, pelo contrário, calcando suas formulações nos sentimentos, na imaginação e no sonho, João Bosco Bezerra Bonfim construiu o seu “teoria do beijo”.
A partir de uma suposta “lei” ou axioma, segundo a qual “quem beija, bebe a alma beijada”, por 55 páginas-cartões, o autor brinca com idéia; ou não brinca, tornando o tema por vezes bem sério; mas também sensual e até lógico, como se pode ver nestes poemas:

nada
contigo nada
queria
nem te tocar
ousaria
ouvir já arrepiaria
cheirar, então,
embriagaria,
beijar…

do medo
quem beija
bebe a alma
beijada
(mas, se teme,
doce cilada
perde o beijo
e a amada)

de saudade
não temo a perda
mas a ausência
não a morte
mas a distância
não ao adeus
mas o até-já

de letra
quem beija
lê a alma
beijada
(ou não
é beijo
nem alfa
nem beta)

descartesiano

se o beijo
é do amor
a porta
como o teu beijo
(despejo) me desterrou
me exilou
me deixou
a esperança
morta?

Os poemas foram trabalhados pela artista plástica Ana Lúcia Lomônaco, que concebeu um livro-objeto, que pode ser lido na seqüência ou montado como um quebra-cabeças. O livro, por sinal, fez parte de sua exposição intitulada “o beijo, a poesia, o livro” no Espaço Zumbi dos Palares, da Câmara dos Deputados, na segunda quinzena de maio.
João Bosco Bezerra Bonfim é poeta, e este é seu terceiro livro de poesia. Os outros são amador amador, Pirenópolis pedras janelas quintais. Mas também tem publicados o infantil Era uma vez uma maria farinha e o ensaio A fome que não sai no jornal — o discurso da mídia sobre a fome. É cearense de nascimento e está radicado em Brasília desde 1973. Aqui, formou-se em Letras, é também Mestre em Lingüística (UnB) e trabalha como Consultor Legislativo no Senado Federal.

Cordéis
O Romance do Vaqueiro Voador, Editora Callis, 2010. Ilustrações: Abraão Batista, Vladimir Carvalho, Wagner Alves. História das muitas transformações por que passa Raimundo Vaqueiro, durante a construção de Brasília. Temas: migração, Brasília, condição dos trabalhadores brasileiros, justiça. Destinado a leitores a partir dos 10 anos e para adultos.

Chronica de D. Maria Quitéria dos Inhamuns, Ed. LGE, 2004. Ilustrações: Côca Torquato, design de Wagner Alves. Narrativa em versos que envolve poderosa senhora do sertão em romance proibido. Destinado a leitores adolescente adultos.

Um Pau-de-Arara Para Brasília, Ed. Biruta, 2010. Ilustrações: Alexandre Teles
Uma moça chamada Brasília e um cordelista-folheteiro chamado Assum Preto combinam de se encontrar em Brasília, no dia da inauguração da nova Capital. Em versos de cordel, o livro contra as tramas que envolvem esse encontro. Destinado a adolescentes e adultos.

A Peleja de Aninha contra o Dragão da Tirania, ou de como Cora Coralina encontrou a poesia. Cordel com breve biografia da escritora goiana. Em formato clássico de cordel. Para leitores a partir de dez anos.

O Auto de Santa Dica. Ed. do Autor, 2011. Ilustrações de Alexandre Teles. Na forma dramática, dialogada, a história de uma mística que viveu no interior de Goiás (município de Pirenópolis), suas lutas e repressão sofrida. Para público acima de 12 anos.

Poesia
amador amador, Ed. do Autor, Brasília, 2001. Poesia lírica, com arte de Ana Lomônaco. Destinado a leitores adolescente e adultos.

Pirenópolis pedras janelas quintais, Editora Plano, 2002. Poesia lírica, com fotos de Sílvio Zamboni, com arte de Wagner Alves, sobre a cidade de Pirenópolis. Destinado a leitores adolescente e adultos.

Teoria do beijo, Ed. do Autor, 2003. Poesia lírica, com arte de Ana Lomonaco, sob a forma de um quebra-cabeça. Destinado a leitores adolescentes e adultos.

Passagens terrâneas e subterrâneas, LGE Editora/FAC, 2004. Livro de poesia lírica, com arte de Ana Lúcia Lomônaco. Destinado a leitores adolescente e adultos.

in feito, poesia lírica, Ed. do Autor/Fundo de Apoio à Arte e à Cultura do DF, 2009.com design de Wagner Alves. Destinado a leitores adolescentes e adultos.

Infantojuvenis
No reino dos preás, o Rei Carcará, Ed. Elementar, 2009. Ilustrações de Mateus Rios.
Narrativa em versos de cordel que conta a história de um reino de preás, governado pelos carcarás, até o dia em que…Temas: noções de cidadania e de representação política; valorização da leitura como fator de transformação. Destinado a leitores de 8 a 12 anos.

O Jipe Cangaceiro na Chapada dos Veadeiros, LGE Editora, 2005, com arte de Ana Lomonaco. Narrativa em versos de cordel da trajetória de um jipe que veio do Nordeste para Brasília, mas que foi parar na Chapada dos Veadeiros, em Goiás, onde foi vaqueiro, garimpeiro e hoje é guia turístico e preserva os animais e nascentes.
Temas: migração e desafios enfrentados pelos migrantes; história; ecologia. Destinado a leitores de 8 a 12 anos.

Uma Traça de Casaca na Casa de Rui Barbosa, LGE Editora, 2005, com arte Renato Palet. Na Casa de Ruy Barbosa, Sílfide, a traça, vive a degustar e ler livros sérios, até que descobre o cordel, os gibis e muitos outros gêneros de textos. Temas: formação de leitores e literatura popular brasileira. Destinado a leitores de 6 a 10 anos.

Era uma vez uma maria farinha, LGE Editora, Brasília, 2003, com ilustrações de Daniele Lincoln,.Tudo muda na vida de Luciana e de uma Maria Farinha no dia em que se encontram na praia. A história é narrada em versos e conta detalhes dessa amizade.
Temas: amizade, ecologia. Destinado a leitores de 4 a 8 anos.

São Chiquinho ou o rio quando menino, Ed. Biruta, SP, 2008, com arte de Mateus Rios. Em versos, conta a história de um rio pequenino, que nasce lá na Serra da Canastra e que depois vai ser conhecido como Rio São Francisco ou Velho Chico. Destinado a crianças a partir de 6 anos.

Lobo Guará de Hotel, Editora Callis, 2009, com arte de Laura Michell. No grande Cerrado, a vida/ não é como antigamente/ além de bicho do mato,/ há também o bicho gente,/ causando desassossego/ ao Lobo e seus parentes. Temas: identidade e autonomia, Ética e cidadania, meio ambiente. Destinado a crianças a partir de 8 anos

O Soldadinho de Chumbo em cordel, Ed. Prumo, 2009, com arte de Laerte Silvino. A adaptação do comovente conto “O soldadinho de chumbo”, de Hans Christian Andersen. A paixão do Soldadinho pela Bailarina da caixa de música ganha ainda mais graça em formato de cordel. Destinado a crianças acima de 8 anos, adolescentes e adultos.

A Roupa Nova do Imperador em cordel, Ed. Prumo, São Paulo, 2011, com arte de Laerte Silvino. Adaptação do clássico de Andersen, recontado tendo o sertão brasileiro como cenário. Destinado a crianças acima de 8 anos, adolescentes e adultos.

A Princesa e a Ervilha em cordel, Ed. Prumo, São Paulo, 2011, com arte de Laerte Silvino. Adaptação do clássico de Andersen, com toques de identidade brasileira contemporânea. Destinado a crianças acima de 8 anos, adolescentes e adultos.

Ensaios
A fome que não sai no jornal, Editora Plano, 2002. Ensaio sobre o discurso que a mídia impressa faz sobre a fome no Brasil. Valiosa contribuição para uma leitura crítica dos jornais e da retórica política. Destinado a estudantes do Ensino Médio e de Letras, Comunicação Social e áreas que lidam com análise do discurso.

Palavra de Presidente, vol. I– Discursos de Posse de Deodoro a Lula e vol. II – Sob o signo de Rui Barbosa, a Oratória dos Presidentes do Senado, LGE Editora, 2004 e 2006. Coletânea de todos os discursos de posse dos presidentes brasileiros, acompanhada de estudo crítico. Uma boa maneira de ler a história do Brasil sob a ótica daqueles que vão assumir o poder. Igualmente valioso para quem quer fazer uma leitura crítica do discurso dos governantes. Destinado a políticos, jornalistas, assessores parlamentares, estudantes de Letras e Jornalismo.

Twitter Digg Delicious Stumbleupon Technorati Facebook Email

About João Bosco Bezerra Bonfim

Poeta, pesquisador de linguística e literatura. Mora em Brasília, DF, Brasil. Autor de mais de vinte livros: análise de discurso, poesia, literatura infantojuvenil, cordéis. Nasceu na Barra do Riacho Seco, município de Novo Oriente, Ceará, em 1961. Reside em Brasília desde 1972. Professor de literatura, mestre e doutor em linguística, na área de análise do discurso. Ministra oficinas para mediadores de leitura; faz leituras públicas de suas obras; participa de eventos literários em todo o Brasil.

Nenhum comentário ainda... Seja o primeiro a deixar uma mensagem!

Deixe uma mensagem