Arquivos | Narrativas RSS feed para esta seção

O jumento e o boi em cordel – entrevista no Rascunho

por João Bosco Bezerra Bonfim

Entrevista no Rascunho de outubro, p. 17.

Leia mais

O cão sem flores – nova do Fabulário Conciso para Tempos Inclementes

por João Bosco Bezerra Bonfim

IX O cão sem flores Nenhum lugar no mundo é mais propicio Para se enterrar tesouro valioso: O jardim, onde se planta o osso. Todo cachorro sabe esse ofício. Data do tempo da fome canina O bom hábito de fazer poupança Quando faltar a matéria mais fina Saca-se do jardim, enche-se a pança. Mas outra […]

Leia mais

Bebedouro – ou a Peleja de Dona Onça e Seu Macaco

por João Bosco Bezerra Bonfim

                    VII Bebedouro   Por sete dias a fio Veio a Onça beber água Que passarinho não bebe Mas não bebia nem nada Essa felina danada:   Só de olho no macaco Que tardava sua chegada Mesmo morrendo de sede O barato recusava.   Porém, usando […]

Leia mais

A Peleja do Grilo

por João Bosco Bezerra Bonfim

VI A Peleja do Grilo   O Grilo grilou seu canto noturno Mas sem esperar que ouvisse a plateia Cantador de fé, tempera a traqueia E aquilo que diz parece absurdo Embora incrível, repete a trilha Esse é o ensino da sua família: – A noite é um dia, com o sol às avessas Por […]

Leia mais
Cândida

Cândida – da série do Fabulário Conciso para Tempos Inclementes

por João Bosco Bezerra Bonfim

                  V Cândida Sem opinião formada, diz: – Foi! Mas logo se desdiz muito guapo, Com maior ênfase: – Não foi!   Mas a Rã nem liga, indiferente: A ela não importa a língua maledicente da má gente. Para ela não passam de ínguas.   Porém não […]

Leia mais

Galope para a Tubaroa

por João Bosco Bezerra Bonfim

              IV Galope para a Tubaroa Um dia na praia De longe avistei Uma barbatana Alegre e contente Conforme o sorriso: Milhares de dentes Era a Tubaroa Artista de grei Que a tudo engole Digere? Não sei! Ela nunca para Recusa o pensar E aquilo que ouve Se esqueceu […]

Leia mais

Conto nublado

por João Bosco Bezerra Bonfim

Conto nublado                   [em memória de Guilherme de Almeida   E  vem de lá a noite Com sua luz tão fria Clareando a mancha Que projetara o dia   E bota a cara a lua Com luz fina e densa Colhendo as sombras Das águas mais mansas […]

Leia mais

Cruz

por João Bosco Bezerra Bonfim

por João Bosco Bezerra Bonfim   Ah! Você não sabe? Pois eu vou te contar. É uma história muito da triste, não sabe! Olhe, vou lhe avisando. Muita gente vai dizer que é mentira minha, que é invenção. Mas Deus é testemunha, e Deus que me perdoe pelo que eu vou dizer, mas é a […]

Leia mais

Lázaro

por João Bosco Bezerra Bonfim

por João Bosco Bezerra Bonfim Aos quinze dias do mês de agosto de 2002, sem que tivesse intenção ou plano, Lázaro entrou no Bar do Afonso. Às vinte e três horas e quarenta e sete minutos, do dia quinze de agosto de 2002, distraidamente, Lázaro entrou. Na galeria, entre a rua do hospital e a […]

Leia mais