Cândida – da série do Fabulário Conciso para Tempos Inclementes

por João Bosco Bezerra Bonfim

Artes Verbais, Literatura de Cordel, Discurso, Letramento Literário, Narrativas, Poesia


Cândida

Fabulário Conciso para Tempos Inclementes – Cândida, fábula V

 

 

 

 

 

 

 

 

 

V

Cândida

Sem opinião formada, diz: – Foi!

Mas logo se desdiz muito guapo,

Com maior ênfase: – Não foi!

 

Mas a Rã nem liga, indiferente:

A ela não importa a língua

maledicente da má gente.

Para ela não passam de ínguas.

 

Porém não tarda o julgamento:

Na boca, a prova de seu crime,

Que a todos causa grã tormento.

 

Mesmo assim, recusa e até xinga.

Nega-se a pagar medicamentos:

– Não fui eu que pus sapinho na Língua!

 

por João Bosco Bezerra Bonfim

Esta é a quinta da série Fabulário Conciso para Tempos Inclementes.

 

Twitter Digg Delicious Stumbleupon Technorati Facebook Email

About João Bosco Bezerra Bonfim

Poeta, pesquisador de linguística e literatura. Mora em Brasília, DF, Brasil. Autor de mais de vinte livros: análise de discurso, poesia, literatura infantojuvenil, cordéis. Nasceu na Barra do Riacho Seco, município de Novo Oriente, Ceará, em 1961. Reside em Brasília desde 1972. Professor de literatura, mestre e doutor em linguística, na área de análise do discurso. Ministra oficinas para mediadores de leitura; faz leituras públicas de suas obras; participa de eventos literários em todo o Brasil.

Nenhum comentário ainda... Seja o primeiro a deixar uma mensagem!

Deixe uma mensagem