Arquivos | março, 2013

Os derivados do leite

por João Bosco Bezerra Bonfim

                      Os derivados do leite do poeta Bueno de Rivera   Os magnatas do leite e seus filhos derivados têm carne leve e tenra dos lactentes. A pele alva e acídula a face sanguínea e túmida como os queijos de corante. A voz é pastosa […]

Leia mais

Galope para a Tubaroa

por João Bosco Bezerra Bonfim

              IV Galope para a Tubaroa Um dia na praia De longe avistei Uma barbatana Alegre e contente Conforme o sorriso: Milhares de dentes Era a Tubaroa Artista de grei Que a tudo engole Digere? Não sei! Ela nunca para Recusa o pensar E aquilo que ouve Se esqueceu […]

Leia mais

Concerto para quatro patas e arame farpado

por João Bosco Bezerra Bonfim

                III Concerto para quatro patas e arame farpado   No campo vasto de ipês floridos, Pampa ignora o que sejam porteiras; E até onde vão seus sentidos, Ri e relincha, marchando faceiro.   E, no galope, o que é que ele avista? Se não é a poldra […]

Leia mais